quinta-feira, 5 de janeiro de 2012

Aqueles éramos nós abraçados


Nós nos abraçamos.
Assim nossos corpos se aqueceram.
Assim nossos corações bateram no mesmo ritmo.
O meu dizia que nunca vai te deixar,
O seu me dizia que pra sempre vai me amar.

Abraçados. Sabíamos que embora a chuva caísse,
Estávamos ali, um para o outro.
Não havia mais o seu mundo, o seu medo
A sua dor, nem a sua tristeza.
Agora tudo havia se evaporado,
Para dar espaço a nossa alegria.
O seu coração aceitou meu amor.

E suas mãos enxugavam minhas lágrimas.
E você me dizia: que não havia mais necessidade de chorar,
Que eu podia te abraçar, confiar no seu conforto
Descansar da minha jornada solitária
Que agora você estaria ali para mim. Para me segurar se eu caísse.
Para lutar comigo a minha guerra. Para me fazer  vencedora.
E eu aceitei tua presença!

E assim nos encontramos, aquele era você que renegava tanto o amor- e se rendeu ao meu.
Aquela era eu, que fugia de toda companhia- mas aceitou a sua.
Aqueles éramos nós abraçados!

Um comentário: